Informações Úteis

População: cerca de 3,3 milhões de habitantes

Custo de Vida

Fonte: Numbeo
Real Dólar Euro
Restaurante Ver Mais
Refeição (em local barato) $ 7,50
Fast food (combo) $ 4,22
Água $ 0,78
Cerveja (garrafa) $ 1,88
Refrigerante (lata) $ 0,92
Mercado Ver Mais
Pão (tipo francês) $ 1,00
Ovos (dúzia) $ 1,85
Queijo Local (1kg) $ 6,48
Maço de cigarro $ 3,19
Transporte Ver Mais
Passagem local (só de ida) $ 1,61
Táxi (corrida de 1km) $ 1,13
Gasolina (1 litro) $ 1,26
Passe Comum Mensal $ 56,25
Diversão
Cinema $ 5,34
Academia (mensal) $ 37,57
Outros serviços
Energia, Gás, Água, Lixo (para ap. 85m2) $ 91,11
Internet (6Mbps ADSL - Sem limite) $ 69,78

Joanesburgo

Joanesburgo
4 8 1 comentários
Obrigado pelo seu voto.

A cidade mais populosa e rica da África do Sul também é conhecida como capital do ouro e dos diamantes. "Joburg", assim carinhosamente chamada por seus habitantes, fica na província de Gauteng, no planalto de Highveld, a mais de 1.750 metros do nível do mar.

Vibrante e dinâmica, é a porta de entrada da nação sul-africana. Não à toa foi escolhida como uma das principais sedes da Copa do Mundo de 2010. Os turistas contam com uma infraestrutura recheada de ótimos hotéis, restaurantes ecléticos e museus históricos. Sem contar as belezas naturais e culturais. Apesar das crescentes construções modernas e arrojadas, sua ampla área verde continua a se destacar no cenário, com uma expressiva quantidade de parques – mais de dois mil.

Libertada do apartheid, e a despeito das marcas históricas ainda presentes no meio urbano, Joanesburgo está hoje 100% recuperada e integrada. Pelo menos é o que mostra o povo nas ruas, vivendo livremente e lado a lado, independente da cor da pele.

Cultura

Você provavelmente já assistiu a documentários no estilo “Mundo Animal”, não é mesmo? Pois vai se espantar ao saber que uma cidade africana pode também ostentar modernos edifícios com arquitetura tão arrojada quanto a das grandes cidades americanas. Joanesburgo conseguiu reunir tudo em seu espaço, contando ainda com bons teatros, restaurantes, galerias de arte e museus.

Quem desembarcar na cidade deve aproveitar a sua grande vida cultural. A Galeria de Arte de Joanesburgo, o Constitution Hill (prisão onde ficaram Nelson Mandela e Mahatma Gandhi), SAB World of Beer (museu sobre a história da cerveja) e o Museu do Apartheid são algumas das principais atrações. Neste último, o visitante sente na pele os tempos de segregação racial, uma vez que recebe um ingresso de acordo com sua cor.

Alguns distritos, por sua vez, se tornaram paradas culturais imperdíveis. O Soweto, sigla para South Western Township (Município Sudoeste), é um grande subúrbio a 15 quilômetros de Joanesburgo. Foi criado para abrigar os negros em separado das áreas brancas. Na visita à região, fotografe a casa-museu onde morou Nelson Mandela, o memorial Hector Pieterson, um dos quatro jovens negros mortos pela polícia durante protesto contra a segregação racial, e a Vilakazi Street – única rua do mundo que abrigou dois vencedores do Prêmio Nobel.

Para fazer uma imersão à civilização nativa, a vila Lesedi é um verdadeiro intercâmbio cultural às origens africanas. Com três horas de passeio, o turista conhece quatro tribos (Zulu, Xhosa, Pedi e Basotho) e aprende sobre a vida e organização social desses povos, além de apreciar show de música, danças tradicionais e comida típica.

Saiba que Joanesburgo também carrega o título de cidade teatral. E o entretenimento é garantido no Market Theatre (na rua Bree), palco de artistas locais e dos principais protestos da cidade, e no Johannesburg Civic Theatre (rua Loveday), um dos maiores e mais modernos do país, com grandes musicais e óperas.

Comida

Por ser o principal centro financeiro e de negócios do país, Joanesburgo reúne o melhor da culinária nacional e também internacional. Entre os restaurantes e fast food sul-africanos, os pratos prediletos são à base de frango. Então, em vez de um hambúrguer, a pedida é comer coxinha de galinha.

O braai é o tradicional churrasco local que inclui carnes de todos os tipos e (claro!) frango. Outra destacada iguaria sul-africana é o milho, por vezes preparado como polenta e acompanhado de verduras e carnes. A “Papa”, semelhante ao pirão brasileiro, é uma receita famosa feita de farinha de milho e água. E leva de tudo: legumes, frango (olha ele aí de novo), arroz, macarrão... Sendo um prato barato e nutritivo, dá para entender por que os sul-africanos têm um porte físico bem desenvolvido, ao contrário de outros lugares na África.

Os temperos exóticos, de influências malaia e indiana, dão um sabor forte aos alimentos. Além disso, todo prato pode ser degustado com os famosos vinhos locais. Ao final da comilança, tome um digestivo licor de amarula.

Noite

Não esgote suas energias pela cidade durante o dia, pois a noite é uma “criança” em Joanesburgo. De bares a lounges, de shows de jazz até boates punks, tem de tudo para todos.

Eis algumas casas que merecem destaque: A Kilimajaro, em Melrose, é balada completa, porque agrega restaurante, bar ao som de jazz e pista de dança. O Color Bar, na avenida Stanley, em Milpark, é um dos principais picos de happy hour da juventude e de executivos. Algumas vezes, recebe até DJs renomados.

Quer o melhor do jazz, blues, rock e cultura hip-hop? Vá então ao popular Bassline, reaberto no distrito de Newtown. Em seu palco rolam shows de música ao vivo com talentos locais. Aos descolados e moderninhos de plantão, a dica fica pelo Café Vogue, na Wessels Road. O night club bomba as pick ups com sons variados. Seus coquetéis também são de primeira!

E para quem já é vacinado e maior de idade, a cidade ainda reserva dois cassinos 24 horas! O Gold Reef City e o Montecassino somam 2.300 máquinas da sorte (ou azar!). Só jogue com moderação!

Passeios

usina_180Depois de curtir o roteiro cultural, é hora de passear pelos pontos de lazer e diversão. A Gold Reef City, a 6km ao sul de Joanesburgo, é uma vila em estilo vitoriano construída ao redor de uma mina de ouro explorada entre 1887 e 1975. Hoje, o lugar, situado 200 metros abaixo do solo, é aberto à visitação e inclui parque temático, cinema em 4D, museu, cassino 24h, resort e restaurantes.

Depois de patinar na pista de gelo (sim, existe gelo na África e você pode conferir com seus próprios olhos – e tombos – no Northgate Ice Arena), vá conhecer Cape Town do alto. No 50º e último andar do arranha-céu Carlton Centre Hotel, símbolo de riqueza e status, tem-se uma bela vista panorâmica da cidade. Como todo bom brasileiro apaixonado por futebol, não deixe de ir ao estádio Ellis Park, uma das sedes da Copa de 2010.

girafa2_180O Zoológico, o Jardim dos Pássaros e o Jardim Botânico representam bem a fauna e flora locais. Mas se preferir mais emoção in loco, procure um safári. Para isso, rume ao norte, distante duas horas do centro da cidade. Lá você encontrará o parque nacional de Pilanesberg, uma reserva com 55 mil hectares, vizinha ao complexo hoteleiro de Sun City e com grandes e típicos animais africanos. Todos livres e longe de jaulas.

Na volta, ou antes, como quiser, impressione-se de perto com a cidade em miniatura de Joanesburgo, no Pioneer Park. Há trens, barcos, castelos, ruas e casas em tamanho reduzido.

Transporte

Como uma cidade que está crescendo e progredindo aos poucos, o transporte público ainda precisa melhorar e não agrada muito aos turistas. Faltam trens, ônibus, metrô e até os táxis são escassos nas ruas da capital econômica da África do Sul. Sem contar a idade avançada da maioria da frota de veículos. A espera no ponto também é um pouco demorada.

Por tudo isso, e para evitar estresse, a melhor maneira de explorar a cidade é de caranga. Se tiver com a carteira de habilitação internacional, opte em alugar carro ou prefira usar táxi. Há dois tipos: os comuns, em carros, e as minivans que funcionam como táxis coletivos.

Compras

Se você gosta de coisas discretas, pode se preparar, pois Joanesburgo é um bom lugar para as compras. Mas os produtos da cidade não possuem nada de discreto, pelo contrário, abusam da extravagância.

Passeie pelo Rosebank Mall e encontre sofisticadas lojas de roupas e joias, como diamantes, ouro e pedras semipreciosas. Já na Praça Oriental, em Fordsburg, fica o shopping dos índios, onde o escambo e barganha rolam soltos. Lá, produtos de puro algodão, de couro e peles de avestruz, crocodilo e búfalo são negociáveis, além de temperos e especiarias africanas.

artesanato

Artesanatos, então, têm de monte! Separe um espaço na mala, pois com certeza você vai trazer uma lembrança ou presente para alguém. O African Flea, entre as avenidas Cradock e Bath, é o mercado de pulgas local, com as melhores peças de arte do continente. Já a Crafters Market é a feira especializada em antiguidades. Ao passo que a Bus Factory, na revitalizada região de Newtown, expõe à venda as obras de arte indígenas de maior qualidade.

Informações Gerais

  • Fuso horário: + 5h.
  • Clima: É bem abrasileirado, portanto não esqueça de  levar óculos escuros, boné e protetor solar. O sol é bem forte na região. O verão se apresenta chuvoso, embora a temperatura máxima passe dos 30º C, enquanto no inverno a mínima em algumas ocasiões fica abaixo de zero, por causa da altitude.
  • Voltagem: 220 V
  • Moeda: Rand
  • Idioma: Africâner e o inglês predominam.

Dicas de Quem Já Foi

  • SULY (2 anos atrás)
    "NOTA 10000000000000000000 I LIKE JHB SULY"
Total 1 depoimento

Dê a sua dica sobre Joanesburgo


Nome:
E-mail:
300 caracteres restantes
Código de Validação: