Londres

Considerada por muitos a capital de toda Europa e não só da Inglaterra, Londres é uma das mais notáveis e excitantes cidades do mundo! Sempre tem alguma coisa diferente para oferecer, surpreendendo o viajante a cada esquina com seu passado histórico e presente vibrante. A Londres dos pubs e do Big Ben apresenta muitas facetas ao mesmo tempo. Pode ser romântica, alternativa, antiga, moderna, boêmia, consumista, artística, fashion, esportiva ou careta. Em resumo, uma terra de vanguarda, cosmopolita e com arquitetura espetacular, onde caminhar pode ser uma verdadeira aula de história.


Informações Úteis


Clima
Temperado oceânico, bastante instável e nublado durante cerca de 80% do tempo (média de 22ºC no verão e 0ºC no inverno)

Fuso Horário
4 horas à frente do horário de Brasília

Idioma
Inglês

População
Cerca de 12 milhões de habitantes

Território
1.579 km²

Código Telefônico
+44 20

Voltagem
220V

Moeda
Libra Esterlina

Tomadas

Cultura

00206548.jpg

A capital inglesa, fonte de inspiração de Willian Shakespeare, é um dos grandes tesouros culturais do mundo. Possui mais de 300 museus e galerias de arte, a maioria gratuita e com impressionantes coleções de arte clássica e moderna. Somam-se a isso, ainda, bons teatros, cinemas, livrarias e shows musicais. As melhores bandas de pop-rock vêm de lá.

Se você gosta de arte, eis um roteiro obrigatório (não necessariamente nessa ordem): primeiro, vá ao British Museum (dono de um acervo de 4 milhões de peças sobre as civilizações do mundo), depois conheça o fantástico Museu de Cera Madame Tussaud’s. Em seguida, siga para a National Gallery, com pinturas famosas do século 19, e reserve um dia para o Tate Modern. Aberto em 2000 em uma antiga usina às margens do rio Tâmisa, o museu reúne obras modernas de autores como Pablo Picasso e Salvador Dalí.

Depois, aproveite para conferir The Globe (foto), réplica do teatro elizabetano onde Shakespeare encenou suas peças teatrais. Aliás, os ingressos para as peças costumam ser promocionais e vendidos pela metade do preço somente no próprio dia.

Enfim, não queremos traçar toda a sua programação cultural. Mas existem lugares que, se você não for, vai se arrepender. Ir ou não ir? Eis a questão!


Passeios

00206549.jpg

O city tour na capital inglesa pode começar pela London Eye (foto), a enorme "roda-gigante" projetada para a virada do milênio e que oferece uma bela vista panorâmica de toda a cidade. O que mais chama atenção é a visão do Rio Tâmisa, do Parlamento e do Big Ben, o relógio tido como o grande símbolo londrino. Lá, a pontualidade é questão de honra.

Para vivenciar um pouco da monarquia inglesa que dura até hoje, visite o Palácio de Buckingham, a residência oficial da rainha Elizabeth II. O castelo tem mais histórias para contar do que o Tom Hanks no clássico Forrest Gump. E não perca a tradicional troca de guarda real no portão de entrada.

No mesmo embalo histórico, passe pela Abadia de Westminster, o lugar onde os monarcas são coroados e enterrados desde o século XI e que foi palco do badalado casamento entre o príncipe William e Kate Middleton. Já a Tower of London, considerada uma fortaleza medieval, sediou prisões e decapitações de nobres, reis e rainhas. Hoje, esse castelo guarda as joias da coroa britânica, que podem ser vistas pelos visitantes.

Como parte do roteiro arquitetônico, vale a pena fotografar a catedral de São Paulo. Suba as escadarias até o topo para conferir uma paisagem deslumbrante. As pontes de Westminster e Tower Exhibition também merecem um registro.

Na vontade de relaxar, se exercitar ou respirar ar puro, procure o Hyde Park. Guardadas as devidas proporções, é o “Parque Ibirapuera” londrino com bem mais atrações. Em cada bairro, inclusive no centro, não faltam boas áreas verdes para tirar um lazer ou fazer piquenique no verão – hábito bastante comum por lá.


Noite

00206550.jpg

Para você que é festeiro e não perde uma balada, a vida noturna em Londres é impressionante. São dezenas de pubs, bares e algumas das melhores danceterias do mundo para se acabar na pista.

Frequentar os pubs pós-expediente é quase uma religião para os londrinos, que adoram tomar uma "pint" (copo típico para cervejas). Como esses estabelecimentos fecham às 11h da noite, quem quiser pode esticar e varar a noite pelos night clubs.

Sem contar que na cidade há todo ano uma rica programação de raves e festivais musicais ao ar livre em parques, sobretudo no verão. Dá-lhe energia!


Comida

00206551.jpg

A comida britânica já foi considerada a pior do mundo, mas hoje é impossível comer mal por lá. Antes insossa, a culinária local agora oferece um tempero e estilo universais, por conta da diversidade de imigrantes residentes na capital inglesa.

O prato mais popular é o “fish and chips” (foto), peixe com batatas fritas, vendido em milhares de lojinhas fast-food. A iguaria vem embrulhada em um cone de jornal – parece nojento, mas é bom!

Além disso, em praticamente todos os bairros há restaurantes de diversas nacionalidades para todos os gostos e bolsos. Destaque para os pratos exóticos do oriente. Nessa linha, são boa pedida as comidas chinesa, indiana, vietnamita, árabe e turca.

Se preferir, vá a lugares sofisticados que servem o melhor da cozinha francesa, italiana e espanhola. Enfim, não tem como passar fome e ficar sem satisfazer o paladar. Ah, só não se esqueça de respeitar o tradicional hábito londrino e experimentar – pelo menos uma vez – o formal chá da tarde, servido em muitos hotéis.


Compras

00206552.jpg

Como toda grande metrópole, Londres também é uma cidade para torrar o cartão de crédito. Lá existe uma enorme oferta de produtos e serviços. É possível fazer compras em algumas das melhores lojas do mundo e até em feiras e mercados a céu aberto. Como tudo é em libras, mais caro que o dólar e o euro, só tome cuidado para não gastar demais.

A Oxford Street, no bairro de Westminster, é a avenida comercial mais movimentada de toda a Europa. Possui mais de 300 lojas. Já a Bond Street é o endereço sinônimo de luxo, pois hospeda as grifes mais caras. Uma dica, válida para qualquer lugar do mundo, é sempre pechinchar. Geralmente as épocas de liquidação são em janeiro e julho.

No rol de mercados de rua, o Camden Market (foto), no bairro alternativo de Canden Town, é imperdível aos fins de semana. A feirinha dos moderninhos atrai gente eclética e descolada e oferece diversos produtos – de roupas da moda a joias sofisticadas. Ao mesmo tempo, o Portobello Market, no bairro Notting Hill, é uma perdição para os colecionadores. Além de antiguidades, frutas e verduras, abriga um mercado de pulgas, onde estão à venda produtos de segunda linha.

E como Londres vive em ritmo de música, não deixe de conhecer algumas das lojas que vendem discos raros e CDs modernos. As redes Virgin e HMV são as mais completas. Na Baker Street, por exemplo, funciona uma loja especializada só em artigos relacionados aos Beatles. Impossível não passar por lá e matar a saudade do lendário grupo de Liverpool.


Transporte

00206553.jpg

Fazer um tour pelos principais pontos da cidade em um dos tradicionais ônibus vermelhos de dois andares, o “big bus”, é a melhor opção. Primeiro por ser um dos passeios mais completos, e segundo porque não dá para ficar sem entrar nesse famoso personagem presente em todos os filmes ambientados em Londres.

Mas, como você é brasileiro e gosta de chegar rápido nos lugares, saiba que o jeito mais fácil de locomover-se na cidade é usando o metrô (“tube”), considerado o maior do mundo. Há estações perto de todas as atrações turísticas. Se for necessário usar mais de uma linha, o ideal é comprar um "Travelcard", bilhete válido para o metrô e ônibus. O preço varia conforme a validade (um dia ou uma semana) e a distância em relação ao centro.

Quem tiver uma grana extra no bolso e quiser maior comodidade, recorra aos charmosos táxis pretos (“black cabs”) ou até mesmo cogite alugar um carro. Nesse caso, você pode demorar um pouco para se acostumar a dirigir. Calma! Não achamos que você manda mal no trânsito. É que em Londres o volante fica do lado direito. De modo geral, a cidade é bem sinalizada para pilotar. Só fuja da hora do rush.

Custo de vida em Londres

Restaurante

Refeição (em local barato) R$ 63,23
Fast food (combo) R$ 26,35
Água R$ 4,84
Cerveja (garrafa) R$ 21,08
Refrigerante (lata) R$ 5,98

Mercado

Pão (500g) R$ 5,20
Ovos (dúzia) R$ 12,05
Queijo local (1kg) R$ 37,48
Maço de cigarro R$ 46,63

Transporte

Passagem local (só de ida) R$ 13,17
Taxi (corrida 1km) R$ 7,91
Gasolina (1 litro) R$ 6,29
Passe comum mensal R$ 685,02

Diversão

Cinema R$ 63,23
Academia (mensal) R$ 249,45

Moradia

Aluguel Apto Centro (1 quarto) R$ 8.542,17
Aluguel Apto Bairro (1 quarto) R$ 5.804,95
Energia, Gás, Água, Lixo R$ 713,97

Comunicação

Ligação Pré-paga (1 min) R$ 0,66

Dicas CI para sua viagem

Verifique a validade do seu passaporte e dos vistos, caso você vá passar por algum país que exija a autorização. A validade do documento varia de acordo com o lugar, e a contagem é feita a partir da data de retorno. E mantenha uma cópia das duas primeiras páginas do passaporte, já que em caso de extravio isso pode facilitar os trâmites burocráticos.

Leve uma pequena quantidade de moeda local em espécie e o restante no CI Travel Money, que é mais seguro e prático. Lembre-se que, dependendo do seu roteiro, você pode passar por países que usam moedas diferentes. E deixe seu cartão de crédito apenas para emergências. Assim, você evita surpresas com o câmbio quando a fatura fechar.

É importante levar um kit com medicamentos básicos como analgésico, antigripal, remédio para enjôo, cólica, ressaca e má digestão. Não se esqueça de levar também seus remédios de uso contínuo na quantidade necessária para o período que você ficará no destino, já que pode ser difícil conseguir algumas medicações sem passar por um médico local.


Outras Cidades

escolha uma cidade e saiba mais sobre a cultura, passeios, comida, custo de vida e etc., do destino desejado:



Inglaterra com a CI


TV CI

Onde Estudar? St. Giles London Central

25 de janeiro de 2010

Conheça a escola St. Giles London Central.

Júlia Schneider Laurito

Júlia Schneider Laurito

Fez Curso de Inglês em Londres, e visitou Paris e Roma.

Fazer um intercâmbio sempre foi um sonho para mim, mas me faltava coragem. Só me senti pronta para essa aventura no final do primeiro ano da faculdade.Decisão tomada, local escolhido (Londres), só precisava do empurrão final. Foi quando procurei a CI...

Blog Caia no Mundo

ver todos os posts