O glamour das etiquetas italianas

Publicada em: 11/06/2008

Os italianos orgulham-se de uma terra abençoada que concentra 60% dos monumentos artísticos do planeta, segundo a Unesco (entidade da ONU para a educação, ciência e cultura). E é nesse ambiente repleto de arte e glamour que o país virou, fomentado pelos EUA após a Segunda Guerra Mundial, umas das principais mecas do estilo e alta moda mundial. Não à toa marcas famosas e luxuosas com sede por lá criam as tendências de como se trajar bem no âmbito global.
 
De Milão, maior centro industrial, comercial e de feiras da Itália, saem ternos bem cortados e elegantes, tradição de uma alfaiataria imbatível na moda masculina. Os principais desfiles e modelos renomados se exibem na cidade milanesa, onde já vivem e trabalham os mais criativos estilistas. Giorgio Armani e Ermenegildo Zegna viraram sinônimos de homem bem vestido. A expertise de artesão familiarizado ao couro de Salvatore Ferragamo levou os sofisticados sapatos italianos à dianteira do mundo. E há ainda Versace, Dolce & Gabbana, Hugo Boss, entre outras nobres e conhecidas etiquetas.

A capital Roma também é referência de tecidos fantásticos. O lugar seduz a mulherada por sua alta-costura representada por vestidos chiques e sensuais que saem dos croquis de Valentino, de Simonetta Visconti e de Roberto Capucci.

Diante da concorrência acirrada das poderosas grifes, sobrou nos últimos tempos até espaço para a moda brasileira pintar e bordar na Itália. Assim como em boa parte da Europa, é comum o verde-amarelo ganhar as ruas romanas e milanesas durante o verão, principalmente devido à camisa canarinho da seleção brasileira de futebol.

Mas as cores de nossa bandeira nacional têm se expandido para até dentro das lojas e são estampadas em cintos, braceletes, calças, camisetas e calcinhas. E os pontos-de-venda dessas roupas vão de lojas em regiões bem localizadas a barracas de camelôs próximas das estações de trem, metrô e ônibus. É o jeitinho brasileiro de se mostrar, encantar e vestir os exigentes europeus.

Design

Além de sabidamente contar com os grandes designers da moda, os italianos também esbanjam talento e criatividade no design gráfico, no design industrial, no design de produção e na arquitetura. 

Com a sua famosa catedral e demais monumentos de arte, como a Capela Sistina, a Itália oferece objetos de altíssimo valor. A bela Milão possui um grande número de excelentes galerias, museus e teatros, entre eles a Scala de Milão, uma das mais famosas óperas do mundo.

Já o Salão Internacional do Móvel de Milão exibe ano a ano o que há de mais experimentalista no desenho de móveis no mundo. E o que falar do design dos carros italianos? De Ferrari, à Fiat ao Alfa Romeo.

No mesmo rol das modernas máquinas de transporte, foram projetados diferentes tipos de trens na Itália: os comuns, os que param também nas pequenas estações e os de alta velocidade. Nesta última categoria estão o Intercity, o Eurocity, ou o EuroStar. A rede ferroviária é por sinal o melhor meio de percorrer o país e cobre a maioria dos locais de interesse turístico. Entre os grandes centros, estão disponíveis muitos trens todos os dias. Preços, destinos e horários podem ser conferidos no site oficial do Trenitalia. Não perca o bonde!

Academias

Muitos intercambistas procuram a “capital mundial da estética” para aprender tudo sobre moda, artes e design nas chamadas Academias. Em Milão, Florença ou Roma, é possível achar bons pacotes semestrais de cursos de italiano com ênfase numa das três áreas. Vale a pena.

 

Voltar


Leia Mais

Outros artigos ver lista completa