Países top 10 para 2012

Ranking surpreende por lugares que fogem do comum, mas que fará você querer viajar para cada um dos países vencedores.

Publicada em: 09/02/2012
Considerado a Bíblia de mochileiros e viajantes, o guia de turismo Lonely Planet divulgou recentemente os 10 melhores países para visitar em 2012. A maioria dos destinos selecionados foge do lugar-comum e, por isso mesmo, surpreende à primeira vista. A lista foi elaborada pelos especialistas em viagem da famosa publicação americana e levou em conta uma pontuação com base na agitação, atualidade, preço e custo-benefício dos locais.

O ranking foi publicado no livro Best in Travel 2012 (Melhor em Viagem). Confira abaixo as opções e viaje com a CI para qualquer um destes países:
 
 
 
1
Uganda

“Zebra” campeã da lista, o país africano tem recuperado a estabilidade política após anos de guerra civil. Suas atrações turísticas ficam por conta da nascente do rio Nilo, lugar mítico que os exploradores buscam desde os tempos romanos, as savanas que se encontram aos lagos da África Oriental, além de montanhas nevadas em contraste com as enormes selvas, onde a preservação da vida selvagem voltou com força. Em 2012, Uganda celebra 50 anos de sua independência. A capital Kampala é o palco da grande festa e uma das cidades mais seguras da África.
 
 
 
  2 Mianmar  

Antes chamado de Birmânia, este país do sudeste asiático foi avaliado pelo guia como um destino novo e atraente para viagens independentes. Mesmo ainda sob o regime de ditadura, Mianmar reviu o boicote à entrada de visitantes, somente para os não ligados a pacotes turísticos. Cercada por montanhas e praias de areia branca, a terra dos templos e do ouro tem sua porta de entrada na região central, que abriga cidades históricas e muitos locais religiosos (budistas e pagãos). 
     
     
  3 Ucrânia

De grande desconhecida da Europa à coanfitriã da Eurocopa de Futebol 2012, a Ucrânia se destaca hoje por sua charmosa e histórica capital Kiev. A cidade é ponto de partida das excursões à costa do Mar Negro, ou para curtir a vida selvagem na intocada costa da Crimeia. Mas, segundo o guia de viagem, é através do poder do futebol que a Ucrânia mostrará seus encantos para um número recorde de visitantes. E para torcer nos estádios ou regar os passeios nas quatro cidades-sede, a cerveja lá (acredite!) é mais barata do que água.
     
     
  4 Jordânia

Trata-se de um dos países mais abertos e acolhedores do Oriente Médio. Os monumentos de Petra, a antiga cidade rosa-vermelha, ainda são a principal joia da coroa, mas outros locais estão turbinando o boom turístico no país. São os casos do deserto Vale da Lua (Wadi Rum), da cidade romana de Jerash e da sagrada Madaba. De acordo com o guia, a economia em alta, a rica história local e a moderna infraestrutura tornam a Jordânia um dos estados árabes mais acessíveis aos viajantes que falam inglês.
     
     
  5 Dinamarca

Todos os anos, a pequena Dinamarca lidera as listas de “qualidade de vida” e de país mais bonito, legal ou feliz do mundo. E os dinamarqueses sempre fizeram por merecer tais títulos em busca de um planeta melhor e mais sustentável. Suas casas são ecologicamente corretas e os espaços públicos usufruídos por todos. O guia recomenda aos visitantes literalmente subir na bike e explorar os 10 mil km de ciclovias em meio às paisagens revigorantes e arquitetura impecável deste país escandinavo, repleto de ilhas. 
     
     
  6 Butão

Quem já ouviu falar neste país asiático que cultua tradição, budismo e felicidade? Butão é um pequeno reino do Himalaia, situado entre China e Índia, e está (pasme!) entre as dez nações mais alegres do planeta. Novas áreas desta terra montanhosa finalmente estão se abrindo aos negócios. Repleta de atrações ocidentais, Paro é a cidade principal. O roteiro também inclui tours em montanhas primitivas e ao antes fechado Real Manas National Park, habitat de tigres em extinção. Até o extremo leste do país, onde era mais fácil achar o “abominável homem das neves” do que turistas, está acessível e com melhor infraestrutura. 
     
     
  7 Cuba

A socialista ilha dos irmãos Castro tem, gradualmente, aberto as portas ao capitalismo internacional. Assim, o Lonely Planet aconselha a viagem enquanto Cuba ainda parece parada no tempo. O país nutre o charme colonial, as sessões improvisadas de salsa em casas inacabadas, as tradicionais cafeterias e bares de rum, e carroças puxadas a cavalo nas estradas. As praias locais continuarão “virgens” daqui a dez anos, enquanto os melhores mojitos do mundo ainda fluirão por lá. Mas o progresso logo poderá mudar o típico cenário. Vá antes disso! 
     
     
    8 Nova Caledônia

Paradisíaco arquipélago no coração do Pacífico Sul (Oceania) , a Nova Caledônia parece nada menos que um pedaço da França nos trópicos. A capital Nouméa pode ser facilmente confundida com uma cidade da Riviera Francesa, assim como a costa oeste da ilha principal, a Grande Terre. No resto do território, a cultura indígena malanésia prevalece. Surpreendentemente, apesar de paisagens fabulosas e da mistura única das culturas francesa e malanésia, a Nova Caledônia raramente aparece nos roteiros de viagem. 
     
     
  9 Taiwan

Dona de uma paisagem espetacular, Taiwan também oferece museus recheados de tesouros, com o melhor da China imperial, além de uma próspera cultura popular de tradições budistas e taoístas. Na gastronomia, rola uma fusão de sabores. Enquanto nos momentos de lazer, o país pode ser mais bem explorado sobre duas rodas. Nos últimos anos, o governo local investiu pesado no mercado ciclístico. Em 2012, já se encontram prontos milhares de quilômetros de trilhas interligadas para bike, incluindo duas rotas ao redor da ilha, e uma série de outros projetos de ciclismo amigável. 
     
     
  10 Suíça

Seja por seu modelo de ferrovias, pelas cidades de chocolate ou montanhas deslumbrantes para esqui, a Suíça pode ser desbravada com arte, atitude e aventura. Na capital Berna, por exemplo, eis o incrível centro de música Paul Kem, construído em forma de onda. A festa nos clubes noturnos da zona industrial de Zurique e o emocionante salto de bungee jumping nas geleiras de Interlaken são outras atrações imperdíveis. Em 2012, os Alpes Suíços estarão ainda mais acessíveis graças ao lançamento de 19 novos TGVs (trens de alta velocidade) de Paris, e à construção em andamento do túnel ferroviário Gotthard, considerado o mais longo do mundo (57 km). 
     
 
Para mais informações entre em contato com uma de Nossas Lojas.