Paraíso do surfe americano

Publicada em: 17/08/2010

A apenas duas horas de Los Angeles, a atmosfera praiana de San Diego contagia os praticantes e amantes dos esportes aquáticos. A cidade lembra até um pouco Salvador (BA), pelo clima quase sempre ensolarado e o jeito descontraído da população. Mas o lugar é mais conhecido mesmo como a capital mundial do surfe, sobretudo no verão, de junho a setembro. Nessa época, os surfistas tomam o mar. Com isso, lucram as inúmeras lojas e fábricas do gênero existentes na região.

Dona de uma bela costa repleta de praias, a cidade oferece ondas de todos os tipos o ano inteiro. Na orla, os turistas podem alugar facilmente caiaques e pranchas. Em algumas praias, os surfistas dividem espaço na água e na areia até com focas e pelicanos. Mas nada que atrapalhe na hora de fazer uma manobra radical ou pegar um tubo.

San Diego recebe surfistas de todos os cantos. Depois do Havaí, é o lugar onde o surfe começou a se difundir pelo mundo, desde os anos 1930 e 1940. Até hoje, é comum ver jovens na mesma onda com ‘atléticos senhores’ de 70 anos ou mais. Já os estrangeiros só devem manter o respeito para não ‘dropar’ na onda dos locais.

De resto, é só curtir as muitas praias surfáveis. Uma das mais procuradas é Oceanside, que tem formato de um T e hospeda o Museu do Surfe, além de ser frequentada por pelicanos. A Pacific Beach é outro point dos surfistas e atrai toda a juventude. La Jolla, onde ficam as focas, Windansea, Back’s Beach, Mission Beach e Sunset Cliffs estão na mesma lista dos melhores picos para pegar onda. Isso sem contar as boas praias dos arredores e municípios vizinhos. Basta alugar carro e pé na estrada para conhecê-las.

Pela quantidade de pranchas ao mar, logo se percebe que surfar em San Diego é puramente um modo de vida. Por isso, caia na água, nem se for só para pegar um “jacaré”!

 

< voltar


Leia Mais

Outros artigos ver lista completa