Clippings

Publicada em: 23/03/07

O turismo brasileiro em novas mãos

Marta Suplicy assume e promete popularizar as viagens pelo País, incrementar a geração de empregos e combater o turismo sexual

No último dia 23 de março, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva empossou a ex-prefeita de São Paulo, Marta Suplicy, como nova ministra do Turismo, ocupando a vaga deixada por Walfrido dos Mares Guia, que assumiu o Ministério de Relações Institucionais.

E qual a expectativa para o trabalho de Marta à frente do Ministério, que demonstrou um poder muito grande nos últimos quatros anos, com uma equipe bem afinada e com ações bem planejadas, tanto internamente quanto no exterior, por meio da Embratur.

O turismo brasileiro recebeu destacada atenção do Governo Federal, exemplificada pelo seu orçamento. Em 2003, quando o Ministério do Turismo foi criado, ele foi inferior a R$ 130 milhões. Neste ano, chega a R$ 1,8 bilhão, sendo que aproximadamente R$ 1,5 bilhão proveniente de emendas parlamentares.

Logo de início, Marta Suplicy decidiu pela manutenção da equipe do antigo ministro, à exceção de Márcio Favilla e Maria Luiza Leal, que o acompanharam e serão substituidos por Luiz Eduardo Barreto, ex-diretor de Marketing do Sebrae Nacional; e José Edvaldo Gonçalves, ex-assessor do atual governador da Bahia, Jacques Wagner, respectivamente. Assim, Airton Pereira foi mantido como secretário nacional de Políticas do Turismo; e Jeanine Pires, como presidente da Embratur.

Então, o que pensam os principais executivos do trade turistico e empresários do setor sobre a entrada de Marta Suplicy e o trabalho realizado pelo ex-ministro Walfrido dos Mares Guia?

A partir de hoje, traremos alguns depoimentos importantes de vários desses executivos e empresários sobre essa troca, inclusive com algumas sugestões à nova ministra. Eles serão publicados à medida em que forem sendo recebidos.

Acompanhe.

“Embora a maioria das pessoas do setor elogiem a atuação do ministro Mares Guia nos seus quatro anos à frente do Ministério do Turismo, minha avaliação é que sua atuação foi apenas aceitável. Sabemos das dificuldades em se administrar uma pasta nova, mas ao mesmo tempo entendo que muito mais poderia ser feito, tanto em termos de infra-estrutura, divulgação, planejamento e assim vai.

Com relação à nova ministra, entendo que o setor como um todo sai perdendo. Afinal, temos uma ministra que aceita uma pasta de tamanha importância para o País - e para nós, profissionais do setor - como prêmio de consolação e com data já antecipada para o sua saída; é no mínimo desmotivante”.

Celso Garcia - Diretor da CI - Intercâmbio e Turismo para Jovens


Link da notícia: Turismo Opinião


Voltar para Sala de Imprensa
Novidades CI