Clippings

Publicada em: 28/08/08

Trabalho no exterior

Para jovens / Procura entre os estudantes em busca de emprego fora do País cresceu 30% neste ano, segundo as agências

Aproveitar as férias de fim de ano para trabalhar em outro país é uma prática que atrai cada vez mais estudantes universitários. Entre os jovens de Ribeirão, a procura por empregos nos Estados Unidos cresceu cerca de 30% no primeiro semestre deste ano em comparação com o mesmo período de 2007, de acordo com as quatro agências de intercâmbio da cidade. Os estabelecimentos não divulgaram a quantidade de inscrições realizadas.

“A procura é grande por esse programa, pois os jovens querem uma experiência no exterior. E neste ano as inscrições foram impulsionadas pela queda do dólar”, disse Larissa Di Battista, da Student Travel Bureau, agência de intercâmbio.

De acordo com Juliana Novaes, da Central de Intercâmbio, os principais custos são com a viagem e, em alguns casos, com moradia. “É um programa barato, que pode ser divido em parcelas. O estudante tem sua remuneração durante o período e às vezes nem tem gastos com estadia, pois muitos empregadores custeiam.”

Participam do programa jovens entre 18 e 28 anos, que estejam no curso superior e saibam falar inglês fluente. Eles fazem inscrições durante o ano para trabalharem fora do País de dezembro a março. Em Ribeirão, as agências oferecem de 50 a cem vagas por ano para o programa. A maioria dos empregos são para hotéis, restaurantes e estações de esqui.

“Os jovens saem daqui com consciência do que vão enfrentar. É bom porque eles amadurecem”, disse Regina Helena Pagnano, diretora da agência Experimento.

O estudante de economia Eduardo Alvim Guedes Alcoforado, 23 anos, participou do programa nas férias de 2007 e pretende voltar neste ano. “Trabalhei em uma estação de esqui em Wisconsin Dells, nos Estados Unidos. É muito bom para conhecer outro país e também juntar dinheiro.”

Os objetivos do estudante de aviação civil Gustavo Liza Nicoletti, 20, são melhorar o inglês e experiência profissional. “Vou pela primeira vez este ano. Acho interessante para minha carreira”, disse. Para conseguir uma vaga os estudantes precisam ser selecionados pelos empregadores estrangeiros. A seleção é feita em feiras que começam a ser realizadas este mês.

Só para as meninas

Outra opção de trabalho no exterior, exclusiva para meninas, também chama atenção pelo custo acessível. O Au Pair consiste em cuidar de crianças e estudar por um período de 12 meses no exterior. De acordo com Silvia Regina Rossetto, da agência de intercâmbio EF em Ribeirão, neste ano houve um aumento de 50% na procura pelo programa em relação aos seis primeiros meses de 2007. “Ele (o programa) une o útil ao agradável. As meninas conhecem uma nova cultura e ainda juntam dinheiro”, disse. O salário médio semanal das jovens é de US$ 176,85. Para participar do Au Pair, é preciso ter entre 18 e 26 anos, inglês intermediário e experiência com crianças. Para Roberta Luchiari, 27 anos, que participou do programa em 2007, a experiência valeu a pena. “Aprendi muito e juntei dinheiro. Mas tive sorte de pegar uma família legal.” De acordo com Silvia, as meninas que participam do programa precisam se preparar para os desafios. “A gente orienta bem, não é fácil passar um ano em outro país com outra família.” (RS)


Link da notícia: Gazeta de Ribeirão


Voltar para Sala de Imprensa
Novidades CI